sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Soneto LXXXVIII

Quando me tratas mau e, desprezado,
Sinto que o meu valor vês com desdém,
Lutando contra mim, fico a teu lado
E, inda perjuro, provo que és um bem.
Conhecendo melhor meus próprios erros,
A te apoiar te ponho a par da história
De ocultas faltas, onde estou enfermo;
Então, ao me perder, tens toda a glória.
Mas lucro também tiro desse ofício:
Curvando sobre ti amor tamanho,
Mal que me faço me traz benefício,
Pois o que ganhas duas vezes ganho.
Assim é o meu amor e a ti o reporto:
Por ti todas as culpas eu suporto.
William Shakespeare

4 comentários:

"Os dispostos se atraem." disse...

Ai que perfeito!!!!
Sério, amei! Esse cara é muito Fo***!!!
Obrigado Natoka!!!
Beijos, amo você!

Dayane disse...

^^

"Os dispostos se atraem." disse...

Dayaneeeee =D
Que honra vossa presença por aqui guria! Como tu vais?
Saudade de conversar contigo!
rsrsrs arranjamos um espaço para nossas idéias não? Blogs ajudam!
Beijos Nelara ;)

Lilian Stocco disse...

Muito bom, estou gostando cada vez mais do seu blog...Legal!!!!