segunda-feira, 26 de julho de 2010

Descabida

Hoje, senti o gosto daquele sorvete gostoso
Amanhã, vou querer de novo


Reli o que já tinha lido
Falhei de novo, do mesmo jeito, no mesmo lugar
com algo diferente, falhei pior ainda.


Levei bronca, olhar feio, cara amarrada!
E só não chinelada
porque eu já cresci, porque já sou velha demais...
Queria ser criança, quando apanha resolve tudo...


Fiquei calada, olhei pra frente e pensei:
Amanhã vai ser diferente
Amanheci, tomei banho e escovei o dente
Mais um dia, mais gente, bola pra frente


Espera o sinal fechar
Está despersa do mundo...
A velhinha, esperta, atravessa antes
A heroína a fez correr e salvá-la
Salvá-la do sinal verde... Que vexame...


Apanhou, levou palmada!
"Louca! me solta! O sinal está verde! Os carros pararam!"
O mundo é normal, não é belo, não é perfeito...
Eu é que sou exagerada...


Chuva quando cai, cai pra todo mundo
O sol quando nasce também
Por que tudo é tão facil
E eu insisto em ver tudo mais além?

4 comentários:

Nathalia Barbosa disse...

Que pidona, quer palpite e tarja?
O ruim de ser poeta é que as vezes sua expressão é tão boa que só ele mesmo entende,rs. É sério esse papo da velhinha no farol?

omapadobrasil.blogspot.com disse...

Parabéns

omapadobrasil.blogspot.com

Bruuhs disse...

Confesso não me lembrar como eu cheguei à este blog, mas foi uma descoberta interessante, pois seus textos são muito bons!

Está de parabéns

O SEGREDO DOS ESCRITORES disse...

olá!
tudo bom???
muito prazer,me chamo Augusto César...
gostei muito do seu blogger. show de bola!
estou lhe seguindo,me siga também???
http://osegredodosescritores.blogspot.com/